Google+ Followers

sábado, 6 de novembro de 2010

'Cuidado. O Mestre anda aí'

Durante a nossa vida, cruzamo-nos com pessoas que deixam um pouco delas em nós, que se revelam muito importantes, naquele momento ou mesmo mais tarde. Outras, passam e seguem sem deixar nada memorável. Às primeiras dedico esta mensagem.

Muitas vezes, num primeiro contacto, ou mesmo 'à segunda vista', não percebemos o quão especial é uma pessoa ou não lhe damos, digamos assim, o devido crédito. Quantas vezes nos sucede dizer 'não dava nada por ti!' em tom surpreso... O mesmo acontece ao contrário, infelizmente, não raras vezes. Mas isso, meus caros, é a vida. Se estivermos atentos, e quando digo atentos quero dizer alerta, lúcidos, cientes do que somos e do nosso lugar, reconhecemos uma pessoa importante. Podemos não saber muito bem o que ela pode fazer por nós, além de nos dar a sua amizade e vice-versa, mas percebemos que é uma pessoa que vamos guardar na nossa memória. Umas vezes de uma maneira tão especial que guardamos mais do que uma memória, ('Quero-a comprar, pode-me embrulhar'), outras guardamos e usamos na nossa vida, e para sempre, o legado que nos deixou. E não são necessariamente coisas muito significativas. Por vezes uma palavra ou um episódio passado com uma pessoa com quem não temos grande intimidade, ou com colegas com quem trabalhámos apenas seis meses e nunca mais vemos na vida, significa muito no nosso caminho.
Quando ainda não estamos muito treinados em reconhecer estas pessoas, deixamos passar momentos, diminuimos atitudes, menosprezamos episódios. Mas quando entramos no esquema, não mais queremos deixar passar. É um vício, mas dos bons. Não são todos...? Adiante.
Mesmo sabendo reconhecer, é sempre difícil reconhecer que 'é o momento'. Cada episódio importante da nossa vida precisa de tempo para ser analisado, mastigado e assimilado, como que em retrospectiva. Só depois de viver é que entendemos o que aconteceu ali.
E então, mostram-nos diversas matérias. Dão-nos ferramentas. Em suma, estas pessoas ensinam-nos a saber viver. Umas ensinam-nos a ser gente, outras a amar, a saber como e por onde, a gostar de amar e a ser amantes. Outras há que nos ensinam a olhar para nós e a gostar de nos ver. Ensinam-nos a ser melhores, a crescer, a sair do escuro, a ser MAIORES.

Mas não é para qualquer um, não de qualquer maneira. 
É preciso estarmos centrados em nós. Inteiros. É preciso querermos muito, não podemos dizer que sim com a cabeça mas não o sentir verdadeiramente.  Como diz o ditado 'Quando o aluno está pronto o mestre aparece', quando estivermos prontos para receber, com todas as consequências que isso acarreta, a vida guia-nos e leva-nos a todos os 'mestres' dos nossos meandros.

A todos os que me 'fizeram', agradeço.

Sem comentários: