Google+ Followers

sábado, 13 de novembro de 2010

'Carta'

"Espero que esta carta te encontre bem e de saúde e te leve um pouco da minha amizade.
Escrevo para te dizer que não há nada que possas fazer. A vida é como é. Contra factos, não há argumentos. Ponto. Mas nada acontece por acaso. Tudo o que te foi sucedendo ao longo dos anos tem um propósito, ainda que no momento dos factos não consigas ver com clareza que de facto assim é. Voltando atrás, quando digo que não há nada que possas fazer, refiro-me ao que não está nas tuas mãos decidir, porque na verdade, há sempre qualquer coisa que podemos fazer. A única coisa definitivamente proibída, que não podemos fazer, de modo algum e em tempo algum, é ficar de braços cruzados. Podemos e devemos fazer sempre tudo o que está ao nosso alcance, até não aguentarmos mais. Dar o nosso máximo, ir ao limite. Mas sem quebrar. Isto é o melhor que podemos fazer por nós próprios. Não devemos ficar com nada por fazer, caso contrário vamos ter sempre uma consciência a aborrecer-nos todas as noites durante o sono 'devias ter feito isto, devias ter feito aquilo, eu avisei-te, não me deste ouvidos, agora... ficas acordado. Bem feita'.

De qualquer maneira há poucas fatalidades na vida, situações para as quais não há remédio. A única coisa que não tem remédio é a morte. E o destino. Também não escolhemos o destino, nem a sorte, ou o azar. O que temos é o que há. 'Tens sol se há sol, ramos se ramos buscas, sorte se a sorte é dada'. 
Tens, por isso, que pegar em todas as tuas ferramentas e sem desperdiçar nada, fazer delas a tua arma. Mas não gastes muitas energias a lutar por algo que está perdido à partida mas sim pelo que vale mesmo a pena. E tu sabes quando se trata de uma coisa ou de outra. Age naturalmente, sê simplesmente tu, sem esforço. As coisas vêm ter contigo, bem sabes que assim é, já tiveste provas disso. Mas isso é assunto para outra carta. Aproveita todas as coisas simples e belas que estão à tua volta. E são tantas. Sem precisares de procurar muito. A começar por ti, 'cara linda'. (sorriso) 
Assim, continua o teu caminho sem te desviares muito de ti. Estás tão perto. Não deixes que nada estrague o que tens feito até aqui. 

Aquilo que eu desejo para mim, é o que desejo para ti.
'Saúdinha' e 'boa sorte' "  
Aqui fica um poema.

'Para ser grande, sê inteiro:nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.'

F.P, (Het. R. R.)

1 comentário:

Anónimo disse...

Então, há sempre algo que podemos fazer. Isso é uma lição preciosa. BOA!!! Optimismo. Como aprendeu uma pessoa pequenina (de meio metro), e que anda sempre a dizer, porque interiorizou: Boas acções ou pensamentos, trazem sempre boas reacções.
Gostei, muito.
Eu, Alex